free web hosting | free website | Business Hosting Services | Free Website Submission | shopping cart | php hosting

 

 

 Salva-me

Título Original - Salvame

Valeria XG

valxegab@hotmail.com

Tradução de Fernanda

rennight@hotmail.com

 

 

Quinta Parte

 

  "Suas doces mãos me envolve.
a sanidade  me vigia.
Seus olhos claros, o único remédio para minha dor.
Só o seu amor poderá me Salvar
Salva-me..."

 

Luciana estava na sala examinando os mais pequenos. Estava falando com o pai de uma das crianças que receberia alta, sentiu um calofrio lhe percorrer as costas e um nó lhe formou no estômago. Piscou com força diante da situação.

Sentiu o seu coração acelerar e pediu desculpa para o homem que a olhava preocupado.

- Sinto... é que não me sinto bem...
- Está pálida, porque não senta por um momento.
- Não, não... preciso ir.

Luciana saiu da sala rapidamente e foi até o elevador, olhou-se no espelho do mesmo e apertou o número três... ali ficava a sala de quimioterapia e algo lhe dizia que Andrea não estava bem.

Caminhou pelo longo corredor até que chegou na porta... uma sombra dizia-lhe que alguém estava com seu amor e lentamente abriu a porta. O que viu a deixou paralisada e seu coração ao ver a seu amor inconsciente e Marina com uma seringa injetando algo no soro.

Não sabe em que momento cruzou o quarto...

Marina estava de costas e não sentiu a presença de Luciana, até que uma forte mão a apertou o seu ombro e a fez se virar . A próxima coisa que sentiu foi um soco em seu rosto. Começaram a brigar, até que Luciana deu lhe uma joelhada no estômago que a fez cair. A briga tinha alertado os médicos que correram para sala. Ao ver o que ocorria chamaram à segurança.

Luciana tentou se recuperar  de toda essa adrenalina respirando fundo, olhou a seringa ainda conectada no soro e se apressou à tirar, fechando com muito cuidado o soro que ia para o braço de Andrea que e a luz do entardecer a deixava pálida .

Os segurança entraram na sala e levaram Marina. Recolheram as provas que a incriminava e se foram deixando ainda um grupo de médicos que examinavam Andrea.
Luciana relaxou ao escutar que o líquido não tinha chegado em sua veia, teria que esperar o efeito do éter terminar.

*****

Umas mãos tampavam-lhe a boca, enquanto gritava o quanto a odiava e pela maneira  que lhe tinha roubado a felicidade... Sim, porque tinha sido feliz com Luciana até que ela apareceu na vida da morena. Marina contou-lhe como tinha feito os videos e de como tinha ficado feliz quando ela ficou doente novamente. Agora saboreava a sua vitória...

Sentiu um calor em sua bochecha, queria se livrar daquele calor mas descobriu que não podia se mover, estava cansada, só queria dormir.

Palavras de amor e alento não combinava com essa pessoa, sentiu as pálpebras pesadas e um sabor amargo na boca.

Sentiu que era erguida e lentamente a levaram...


Luciana estava sentada ao lado de sua pequena mulher segurando sua mão, as lágrimas caíam de seus olhos e ajeitou melhor o corpo inerte de Andrea na cama .

Dirigiu seu olhar para a janela e sorriu. Levantou-se e abriu as cortinas o céu estava limpo e podia se ver a lua, as estrelas piscando.

Voltou a olhar Andrea e pegou uma manta.

Devagar envolveu-a nela e pegou o seu braço. E foi para o sofá e sentou-se nele, acomodou seu tesouro e vigiou o catéter de sua mão. Estava bem.

Acariciou lentamente as costas da jovem enquanto falava-lhe ao ouvido. Pegou sua pálida mão e entrelaçou seus dedos e depois colocou sobre o estômago de Andrea e ficou acariciando-as.


Não sabe quanto tempo dormiu , mas quando sua mente reagiu e pôde abrir os olhos o sol mal se distinguia no horizonte. Ficou olhando o astro rei e apertou um pouco o corpo que estava em seus braços.

Uma queixa chegou a seus ouvidos e rapidamente olhou para o rosto de Andrea.

As pálpebras abriram-se e fixaram em uns olhos tal claros como a água. Olharam-se por uns minutos e um pequeno sorriso aflorou ao dar-se conta onde estava.

- Olá...- saudou a morena num susurro.

- oiii... a voz  foi saindo rouca.- Que aconteceu?

- Marina...- sentiu que Andrea ficou com medo e apertou levemente a sua mão que não tinha soltado ainda.- Esta presa.

- Não lembro de nada... só que senti muito sonho.

- Dormiu muito, meu amor...

O silêncio reinou no quarto quando suas mentes processaram  o significado da palavra. Luciana quis dar um soco em si mesma e fechou os olhos diante de seu tropeço, não queria forçar as coisas mas já não aguentava mais. Seus sentimentos a traia.

Sentiu que Andrea se mexeu sobre seu corpo e fechou os olhos com força com medo de perder o calor que tanto tinha estado almejando.

Surpreendeu-se ao sentir uma leve caricia em sua bochecha e obrigou-se a abrir os olhos. E deu de cara com aqueles olhos verdes que a olhavam com ternura... fundiu-se naquele olhar e devagar rodeou a cintura da pequena mulher. Acariciou a pele nua sob seus dedos enquanto observava  o rosto de Andrea. Não viu rejeição.
Seguiu com as caricias até que os olhos de Andrea desceram até pousar em seus lábios. Sentiu um fogo acender-se em seu corpo e lentamente foi levantando a cabeça sem deixar de olhá-la.

Levantou devagar a mão ao ver como Luciana fechava os olhos e se surpreendeu ao descobrir uma lágrima, acariciou a bochecha e os olhos azuis que abriram inesperadamente e a olharam atenciosamente.

As caricias em sua cintura e costas a desarmava, queria permanecer com raiva dela, mas a cada caricia via que estava perdendo a batalha. Sabia que tudo tinha sido um macabro jogo de uma mente doentia. Marina tinha confessado tudo antes dela dormir.

Nesse momento sentiu-se angustiada por não ter deixado que Luciana lhe explicasse as coisas.

Agora tem a oportunidade de demonstrar a Luciana que nunca deixou de ama-la por mais que sua mente desejasse a cada segundo não conseguiu tira-la de seu coração.

Olhou para os  lábios de  Luciana e sentiu seu corpo lhe traindo enquanto sentia que sua respiração se acelerava.

O primeiro toque foi quase impercipitivel. O beijo intensificou-se e ambas tremeram . Luciana sentiu Andrea encostando mais em si e levou sua mão até a bochecha de Andrea e pousou sua mão em sua nuca para continuar o beijo. Uma pequena mão acariciava suas costas. Abriu levemente seus lábios e surpreendeu-se ao sentir a úmida língua de Andrea percorrê-la, gemeu como reposta e abraçou mais a sua pequena. Como tinha sentindo a falta dela.

Andrea  ficava fora do mundo toda a vez que beijava Luciana e hoje não foi diferente, estava  entregue ao amor novamente e descobriu que não importava mais, o que tinha acontecido. Teriam tempo para conversar... agora só queria senti-lá.
Percorreu a pele corada de Luciana e suspirou quando se viu rodeada  pelos seus fortes braços. Sentia o corpo em chamas e esforçou-se muito para deter seus maiores desejos.

Com beijos suaves foram separando-se e novamente perdeu-se naqueles olhos azuis. Luciana encostou-se no sofá e Andrea descansou a cabeça entre o seu ombro e o pescoço e  sentiu o perfume de Luciana. Ambas sem dizer uma palavra sabiam que tinham voltado.

*****

Faz três meses que Andrea teve sua recaída, durante esse tempo foi se recuperando com a ajuda de sua família e de Luciana .

Hoje estava ansiosa esperando que sua morena entrasse pela porta para leva-la para casa.
Inteirou-se que Marina foi internada numa clinica psiquiatra depois que tentou se matar.

 

Agora se olha pela última vez no espelho e vê que as cores que antes quase não se percebiam hoje estão instaladas em suas bochechas, lhe dando um saudável tom rosado.

Usava um lenço , uma camiseta verde e jeans negro.

Escuta passos no quarto e sorrri. Sai do banheiro e encontra-se com seu amor parada nos pés da cama e com sua bolsa na mão. Os olhos azuis olham-na risonha e aproxima-se para dar-lhe um beijo.

- Pronta para ir pra casa?- pergunta Luciana, enquanto abraça-a e a beija na cabeça.
- Sim,  já quero ir, estou com tanta saudade da Brisa.- um sorriso faz enrugar o seu nariz  que lhe da um ar de menina travessa.

- Vou ter que ser sincera, Ela não vai se lembrar de você...- diz rindo. Agacha-se um pouco para dar-lhe um beijo nos lábios.

Luciana pegou a mão de  Andrea e entrelaçaram os dedos  e foram para o estacionamento.

*****

Passaram três anos desde que Andrea for internada na clínica.  Levou quase dois anos para recuperar-se totalmente, hoje goza de muita saúde, ainda que a cada seis meses tem que fazer os enxames de rotina.

Luciana segue trabalhando na mesma instituição enquanto não se forma. Andrea finalizou seus estudos e neste ano começará a faculdade.

*****

A água quente relaxa seus músculos doloridos depois de várias horas de cavalgada. Tinham decidido ir para a fazenda passar o dia lá. Era seu lugar favorito... Andrea sempre  vinha para fazenda  quando precisava pensar ou somente se desligar do mundo.
Tinha feito isto durante os dois anos que lutou contra a doença  que agora estava curada, e seguia sendo seu lugar favorito.

Enrrola uma toalha em seu corpo e abre a porta. O ar fresco e perfumado golpeia de cheio e sorri ao escutar a música que está tocando no som.

Caminha descalça até o quarto e encontra-o iluminado com velas. Luciana está sentada na cama e observa-lhe ir e vir de um lado para o outro. Andrea presenteia-lhe com um sorriso e vai dar-lhe um beijo enquanto pegava seu perfume e voltou a sair do quarto.

Luciana está com os olhos fechados e espera mais... mas não chega, respira profundamente quando a vê entrar novamente, Andrea fica parada em frente ao espelho penteando os cabelos, esta curto. Podia ve-lá pelo reflexo do espelho o estado de excitação de Luciana mas não faz nada, quer jogar...

Luciana ao ver que seu amor não toma atitude alguma decide tomar as rédias neste jogo. Levanta-se lentamente e coloca seus braços em volta da cintura de Andy e aperta-a contra seu corpo, lentamente leva sua boca até o pescoço dela e morde-o, Andrea sente um Tesão e fecha os olhos como resposta. Um suspiro sai de sua boca ao sentir como as mãos de Luciana lhe acariciava seu rosto depois os ombros e as costas.

Lentamente se vira e ficam de frente. Azul e verde se fundiram durante um minuto, as mãos de Andrea percorrem-lhe as costas e posam-se na cintura de Luciana.

- Beija-me...pediu Andy.

 

Assim o fez, devagar baixou o rosto até que seus lábios se tocam, se roçam.

 

Dava selinhos em seus lábios perfeitos, mordia- os suavemente enquanto sua língua saboreava a doçura que há neles. O beijo faz-se mais urgente e passional. Andy coloca os cabelos de Luciana para trás. Agora é seu o beijo, tomada por paixão sem controle se lança com paixão dentro da boca de Luciana, sua língua a percorre inteira e jogam um momento, se tocando... saborendo-se. Um gemido deixa claro quanto se amam e desfrutam dos beijos e caricias.

Começam a caminhar para a cama enquanto deixam as toalhas cairem e seus corpos ansiosos fazem contato, seguem se beijando enquanto suas mãos se procuram.

Ambas se sentam na cama e Luciana segue beijando-a e começa a acariciar o pequeno corpo. Perdeu-se em seu pescoço e separa-se para olhá-la.

- Te amo Andy...

Voltam a beijar-se mas agora é mais erótico e apaixonado, lentamente se deitam na cama e Luciana continua seu percurso de beijos por seu pescoço deixando o corpo de Andrea acesso, suas mãos a acariciam devagar enquanto seus lábios descem até um de seus seios.
Um calafrio percorre o corpo de Andrea quando os lábios se fecharam em torno de seu mamilo, um gemido sai em resposta e agarra os lençois e estremece quando sente as caricias que lhe brinda seu amor.

A umidade a excita, devagar toca-a e nota como o corpo estremece ao roçar neste ponto, beija sua barriga e desce um pouco mais, nota como Andy retém a respiração quando a beija, saborea lentamente sua lingua, e um gemido sai ao sentir-se cada vez mais molhadinha enquanto sua língua acelera o ritmo para a levar ao êxtase.

Os gemidos chegam a seu ouvido e sabe que está quase lá, levanta a cabeça para olha-la, enquanto introduz lentamente seu dedo, a imagem é única, a encontra radiante, bela, feliz e com um  par a mais de caricias , Andrea tem um orgasmo, lento e prazeiroso.

Sente como seu mundo acabasse  toda vez que fazia amor com Luciana , podia sentir os dedos de  Luciana acariciando seu interior e seus lábios beijando cada palmo de pele e devagar  leva sua mão para roçar um de seus seios, suas sensações ficam mais intensas e seu corpo começa a tremer, num impulso captura a mão que ainda trabalha em seu interior e sente como a morena a beija. O orgasmo chega novamente e não pode controlar os espasmos em seu corpo.

- Calma amor...

Luciana sente Andy e rapidamente sobe para abraça-la e beijá-la. A respiração está ofegante em ambas mulheres.

Andy esconde seu rosto atrás do pescoço de seu amor e abraça-a com as poucas forças que lhe ficou. Sente como seu amor a tranquiliza até se recuperar.

Luciana  vê Andy se acalmando e lhe acaricia as costas em movimentos lentos e sensuais. Com essas caricias, arquea as costas em sinal de excitação e cola-se mais à morena, um gemido sai de sua boca e Luciana abraça-a com mais força, passa uma perna por sua cintura e Andy  a abraça, cada vez que fazem amor, se rende a ela...

Pode sentir o pulso acelerado e presenteia-lhe um beijo.

- Esta bem?- Luciana observa-a que continua com os olhos fechados.
- Simm...- é estou e solta um susurro. Tira seu rosto do pescoço de Luciana e ficam se olhando por um minuto.
- te amo ... eu te amo tanto...

 

Andy abraça Luciana. A morena passa a perna direita pela cintura de seu amor e abraça-a, Andy levanta sua mão e acaricia o rosto de sua namorada, sorrri ao ver como Luciana se rende à caricia e em um susurro lhe pede que a beije. Andrea se aproxima e presenteia-lhe um beijo, doce, suave.

Toma o lábio inferior e morde-o, chupa, um gemido sai de Luciana e abre sua boca para deixar que Andy a explore, ambas línguas se roçam e o sabor doce do beijo se mistura em ambas bocas.

Luciana sente as mãos de Andy acariciando devagar. Andrea acaricia dos ombros até as mãos e entrelaçam seus dedos para depois fazê-la descansar em seu próprio pescoço, a caricia fica mais quente quando toca o bumbum  de Luciana. E leva a mão até seu sexo.

 

Geme ao sentir a umidade de Luciana e um pequeno estremecimento cruza seu corpo.

Mete sua perna entre as de Luciana e começa a roçar deixando Luciana mais molhadinha. Leva a mão ate a cintura de seu  amor e o movimento produz maior satisfação. Ambas se beijam com paixão e luxuria, os movimentos ficam mais acelerados e seus gemidos se misturam.

Um beijo suave misturado com pequenos mordiscos vai desarmando lentamente à morena. Andrea separa-se um pouco e olha para Luciana, gosta de olhá-la... a excita, Luciana morde os lábios, passa lentamente a língua para umidece-los e sente como Andrea a incita e deita de costas, uma nova caricia em sua perna e geme ao notar como os pequenos dedos a acariciam entre as pernas.

Pode sentir como Luciana se excita sob suas caricias, inclina  seu pescoço e começa a dar pequenos beijos até chegar a um dos seios. A morena arquea as costas ao sentir Andy chupando seu seio.

Ao sentir a resposta de Luciana a seu estímulo vai descendo sua mão numa suave caricia por seu estômago, enquanto o mesmo percurso é imitado por seus lábios. Mas antes que as caricias se tornem mais íntimas, Andrea sobe até o ouvido da morena.

- Te amo minha princesa...- um sussurro sai de sua boca e toma o lóbulo entre seus lábios e o beija.

Segue descendo com seus beijos e chega onde Luciana a deseja. Pode sentir o sabor de seu amor lentamente deixa que suas línguas se acariciem.

Luciana sente as caricias em seu centro e começa a rebolar. Os dedos de Andrea a estimulam e sente a excitação crescer com suas caricias.

Os dedos de Andy entra e sai sem parar e vai sentindo o orgasmo de seu amor vindo.

Andrea ouve cada gemido que sai de Luciana e isso lhe indica que esta quase lá.
Chupa, e morde levemente, até que o som único e especial lhe faz saber que Luciana atingiu o clímax.

Sente o corpo estremecer-se e com um último beijo sobe para abraçá-la. Ainda tem os dedos no interior de Luciana e continua a estimulando até que sente um novo orgasmo.

Ambas mulheres se beijam e sentem o sabor de cada uma, se misturando, se unindo.

- Te amo tanto...
- Eu mais.

Estão esgotadas... as velas já quase se consumiram e o ar refresca seus corpos suados. Luciana a tem entre seus braços e acaricia-a suavemente... suas respirações vão voltando ao normal e antes de dormirem pegam o lençol e cobre seus corpos nus e satisfeitos...

Um eu te amo é ouvido e não fica claro de que garganta saiu... mas ambas sabem o que significa isso para suas almas.

FIM